#A_POSTA

Pedro Mendes: «Haveria impacto de 678 milhões de euros caso Portugal tivesse vencido o Mundial»

Pedro Mendes

Diretor do IPAM- Instituto Português de Administração de Marketing

24 de Julho de 2018

Os grandes eventos desportivos são absolutamente indissociáveis da orgânica de um país. Este artigo assume-se como uma reflexão sobre o impacto que estas grandes organizações podem ter na economia portuguesa.

Estudar o impacto económico de um mundial de futebol, implica considerar a sua realização do ponto de vista da caracterização enquanto grande evento. Se recuarmos 14 anos verificamos que um grande evento realizado em Portugal (Euro 2004), segundo dados oficiais da altura, significou um impacto económico de 440 milhões de euros, correspondentes a uma producção global superior a 2.000 milhões de euros. Este mesmo evento revelou-nos também dois grandes pilares de impacto: o próprio evento (300 milhões de euros) e o impacto relacionado com o turismo (140 milhões de euros).

Num estudo recente do IPAM – Instituto Português de Administração de Marketing, anterior à participação de Portugal no mundial de futebol na Rússia, a previsão era de um impacto de 678 milhões de euros caso Portugal tivesse vencido a competição. Este impacto significaria um gasto médio de 65 euros por cada português ao longo de praticamente todo o campeonato (50 dias). No pior dos cenários, caso Portugal não tivesse sequer passado a fase de grupos, o impacto seria bem menor, na ordem dos 333 milhões de euros.

“Num estudo recente do IPAM, previa-se impacto de 678 milhões de euros caso Portugal tivesse vencido a competição.”

Este estudo veio revelar novas abordagens relacionadas com o impacto económico deste grande evento, comparativamente com o longínquo ano de 2004. A título de exemplo 35% do impacto está relacionado com o consumo em casa, 15% com despesas de restauração, 22% com publicidade, 6% com apostas online e 6% com o prémio monetário de desempenho.

As receitas poderão contribuir para vários setores e entidades: Federação Portuguesa de Futebol, agências de publicidade, agências de meios, empresas de ‘catering’, transportes, cafés, restaurantes, segurancça, limpeza, polícia, empresas de apostas, meios de comunicação social, gasolineiras, marcas desportivas, cervejeiras, hipermercados, entregas de comida ao domicílio, tabaqueiras, agências de viagens e hotelaria, entre tantos outros.


BEMJOGADO

Os melhores momentos de CR7 por Portugal

SEGUNDACASA

Taça da Liga:
Uma História de Vitória

OMISTER

Taça da Liga 2019